Mitos e verdades sobre depilação a laser

Um dos tratamentos que minhas pacientes mais procuram por aqui é a depilação a laser. E os motivos são vários: pessoas que não querem mais ficar usando a lâmina na hora de se depilar (ela machuca e pode encravar o pelo), que querem intervalos mais longos entre uma depilação e outra enfim. E para tirar todas suas dúvidas sobre esse tipo de depilação resolvi fazer um texto com mitos e verdades. Olha só:

Depilação a laser também serve para os homens: VERDADE

Cada vez mais os homens buscam por esse tipo de procedimento na clínica.  A busca deles é por, principalmente, a depilação na barba. O procedimento a laser, o contrário da lâmina, não provoca  a foliculite – que são os pelinhos encravados no rosto.

A depilação a laser some com os pelos em definitivo: MITO

Embora os estudos digam que a depilação desse tipo, possa reduzir em até 90% os pelos, não é verdade que eles nunca mais irão aparecer. Algumas alterações hormonais, principalmente nas mulheres, podem fazer esses pelos ficarem em evidência normalmente, por exemplo. O que acontece é que ela é uma depilação que dura mais e que, em muitas mulheres, ela elimina mesmo todos os pelos no decorrer das sessões.

Pelos ruivos e loiros podem não sair na depilação a laser: VERDADE

Essa pouca gente sabe, mas quem tem pelos loiros e ruivos pode não ter tanto resultado com a depilação a laser. O aparelho está acostumado a captar os pelos com maior melanina. O mais indicado mesmo é para quem tem pelos escuros.

É um tratamento doloroso: MITO

A depilação a laser não causa dor nem feridas. As pessoas que passam pelo procedimento podem sentir apenas picadinhas leves e um aquecimento rápido, que são praticamente indolores. E o resultado é maravilhoso!

Ficou alguma dúvida? Então escreva para mim aqui nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo